Reportagem sobre PUCG no Bom Dia Rio

 

 

Alunos da UFF de Campos reclamam da estrutura do lugar. Segundo eles, faltam até professores e a universidade está sem alojamentos. Muitos alunos que vieram de outras cidades para estudar invadiram um casarão próximo à faculdade como forma de protesto.

Barracas, colchões: um quarto improvisado. Há um ano, um grupo de estudantes improvisou um alojamento em um casarão como forma de protesto. Segundo Carlos Eduardo, os estudantes foram pra lá pra reivindicar a assistência estudantil. Rafael reclama da falta de investimentos para moradia, mas esse não é o único motivo de insatisfação. Pelos corredores da universidade, os alunos presenciam mais problemas na estrutura do campus, como falta de professor e de salas também.

À noite os problemas pioram, segundo o próprios estudantes. É que neste horário tem mais gente estudando e é na sala de aula onde a situação complica.

A movimentação deu resultado. Dois dias depois da manifestação, o edital para a construção de um novo prédio foi publicado. Nestas ilustrações, é possível ver como vai ficar o novo pólo, que terá um bandejão, novas salas e laboratórios. Uma obra estimada em aproximadamente R$ 33.000.788. a estrutura será erguida em um terreno que pertenceu à rede ferroviária de Campos.

As obras para a construção do novo prédio devem começar em janeiro de 2012. A entrega está prevista para julho de 2013, segundo a direção. E, enquanto isso, os alunos terão que esperar. José Luiz Vianna, diretor da UFF, já afirmou que, infelizmente, o problema da moradia demorará certo tempo para ser resolvido.

*Do site In360 (aqui)

Desenvolvido e mantido pelo STIC do PUCG | Fale Conosco